(Todas as informações aqui expostas têm por base literatura fidedigna)

Couve kale ou frisada


A couve é um dos alimentos mais saudáveis que se pode adicionar a uma dieta.

É uma excelente fonte de vitaminas A e C e de potássio. 
Rica em cálcio, ferro e folato, contém uma variedades de fito-químicos incluindo a luteína, que beneficia a visão e o combate ao cancro.

Contém carotenóides e flavonóides, dois dos muitos e poderosos antioxidantes existentes na couve, que são conhecidos por lutar especificamente contra a formação de células cancerosas. 

A couve é  uma escolha inteligente na batalha contra a oxidação celular para além de todo o conjunto de benefícios referidos.

Já considerada um super alimento, a couve kale é a rainha de todas elas.

Cebola


As cebolas são uma das melhores fontes de polifenóis, sendo particularmente ricas em quercetina, fito-químico com propriedades anti-inflamatórias, antiproliferativas e antioxidantes.

Além das propriedades anti-cancerígenas, as cebolas são também úteis na prevenção de doenças cardiovasculares.

As cebolas roxas são as mais ricas em polifenóis, seguidas das amarelas e das brancas.

De forma a manter a máxima concentração destes fotoquímicos devem descascar-se retirando o mínimo possível de casca. Descascar demasiado a cebola roxa pode significar a perda de 20% de quercetina e 75% de antocianidinas.

""Fazer da sua cozinha uma farmácia""

Congelamento


Como muitas vezes necessito preparar uma refeição inesperada ou o tempo é menor que o habitual, tento ter sempre vários alimentos prontos a utilizar para uma confeção mais rápida.

Aqui são apenas dois dos alimentos que tenho congelados, sempre em frascos de vidro reutilizáveis.

Cebola roxa levemente passada por azeite e cogumelos, que não devem ser molhados, já laminados.
Mas também tenho no meu congelador abóbora em cubos, banana em rodelas (ótimo também para os batidos), pimento cru em tiras e até feijão e grão demolhado e cozido.

Os frascos não devem estar totalmente cheios e embora a variedade de produtos pré preparados sejam vasta, o congelamento não deve ser feito por muito tempo porque os alimentos congelados podem perder algumas propriedades devido à água que absorvem.

Normalmente não mantenho estes alimentos congelados por mais de uma semana. Prefiro utilizá-los numa refeição e fazer um pouco mais na seguinte para manter o stock.

Beterraba


É um tubérculo arredondado com uma cor vermelha arroxeada.
Esta cor deve-se aos pigmentos denominados betalaínas que estão presentes em poucos alimentos, sendo a beterraba uma excepção.


A beterraba é muito conhecida em Portugal, mas não tão apreciada por todas as pessoas devido ao seu sabor "tipo a terra".


É considerado um alimento com índice glicémico médio e de glicêmica baixo, com poucos hidratos de carbono é um bom alimento para manter os níveis de açúcar no sangue.
Rico em Vitamina B 9, magnésio, potássio, ferro e vitamina C, deve ser incluindo tanto quanto possível na alimentação diária.
Existem variadíssimos modos de consumo: acompanhamento ou saladas, crua ou cozida, em rodelas ou ralada, na sopa ou puré, nos batidos de fruta ou ainda em hambúrguer vegetais e húmus juntamente
com o grão.

Batido de beterraba e morango

Hambúrguer de grão e beterraba

Grão-de-bico


O grão-de-bico é largamente consumido na Península Ibérica sendo um dos alimentos mais populares e com enormes benefícios para a saúde.

Consumido regularmente pelos vegetarianos devido à sua quantidade de proteínas e variados modos de utilização.

O seu uso passa pelas sopas, saladas, acompanhamentos, como prato principal ou ainda no tão agradável húmus. 

Nos seus benefícios contamos com a redução de colesterol, fortalecimento do sistema imunológico, no bom funcionamento intestinal devido ao seu alto teor de fibra e ainda na prevenção ou tratamento da anemia por conter ferro e ácido fólico.

Para além de tudo isto, o grão de bico também melhora o humor porque possui altas taxas de triptofano, uma substância que estimula a produção de serotonina, responsável pela ativação dos centros cerebrais que dão a sensação de bem estar, satisfação e bem estar.

Por isso já é chamado o alimento da alegria!

Tomate

Talvez seja o alimento que contem maior quantidade de licopeno, uma substância carotenóide que lhe dá a cor avermelhada e um antioxidante que ajuda a impedir e reparar os danos das células causados pelos radicais livres. 

Conjuga o seu efeito cardioprotetor com a redução do mau colesterol e da pressão elevada prevenindo assim enfarte do miocárdio.
A sua forte acção antioxidante é uma protecção das doenças cancerígenas, sobretudo no cancro da próstata devido à diminuição dos níveis de PSA.
Diminui a retenção de líquidos porque tem propriedades diuréticas.
É rico em vitamina A, C e E, minerais importantes como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico e cálcio.

Devido às suas propriedade  benéficas podemos considerar  um alimento a consumir diariamente de preferência maduro.

Cozinhado ou conjugado com azeite todos os seu nutrientes são potencializados o que nos dá uma larga variedade de receitas.

Podemos consumi-lo simplesmente em salada temperada com azeite, creme de tomate, gaspacho, sumo, seco, assado ou ainda introduzi-lo em sopas e na preparação de vários pratos.

Um alimento riquíssimo e muito saboroso que nunca deve faltar nas nossas cozinhas.

Vitamina C


A vitamina C é importantíssima na nossa alimentação.
É ela que produz o colagénio essencial ao tecido conjuntivo que protege a pele, ossos, veias, artérias e vasos sanguíneos.

Os cítricos e o kiwi tornam-se os nossos aliados no combate à deterioração das células, muito ricos em antioxidantes ajudam a reforçar as defesas e combater a deterioração celular.

A vitamina C ajuda a diminuir os índices do mau colesterol (LDL) e dos triglicerídeos (gorduras que contribuem para possíveis ataques cardíacos).

Os antioxidantes naturalmente presentes nestes frutos reduzem o risco de cancro do cólon, estômago e pulmão, protegem o coração e ajudam na circulação sanguínea devido à fluidificando do sangue.
Sendo frutos frescos e saborosos não porque não consumir e proteger o seu organismo.


A preferência pelos produtos biológicos


Inicialmente podemos pensar que comprar produtos biológicos  vai provocar um grande défice no orçamento familiar, mas na verdade as vantagens são compensatórias.
Num produto biológico podemos aproveitar "da rama à raiz" sem haver praticamente perdas.

Os legumes biológicos podem e devem ser cozinhados com casca (onde quase sempre se concentram a maior quantidade de nutrientes) e fazer o consumo de folhas e ramas.
Este aproveitamento vai reduzir os custos e os resíduos doméstico, sendo assim uma mais valia ecológica.
Os produtos biológicos têm também uma duração mais longa, mantém-se frescos e rijos durante mais tempo, não havendo perdas desde a compra à utilização.

Além dos motivos económicos a questão da saúde é muito importante, para quem os consome e para quem os cultiva e trata.

Nos EUA foi feito um estudo pelo National Research Council (NRC) que concluiu que a ingestão alimentar representa a principal fonte de exposição a pesticidas em bebes e crianças, e essa exposição pode ser responsável pelo aumento de riscos à saúde.
Este estudo foi feito com base na dieta de 23 crianças em idade escolar através do biomonitoramento urinário.
Substituindo a maioria das dietas convencionais das crianças por alimentos orgânicos e fazendo duas amostras diárias de urina, durante o período de 15 dias de estudo, detectaram que as concentrações urinárias médias dos metabólicos específicos para melatião e clorpirifós (pesticidas usados na agricultura) diminuíram para os níveis não detectáveis ​​imediatamente após a introdução das dietas orgânicas e permaneceram indetectáveis ​​até que as dietas convencionais foram reintroduzidas.

Analisaram ainda vários frutos e legumes e criaram uma lista com a indicação dos principais alimentos a não consumir não sendo biológicos.
Essa lista é encabeçada pela maçã, um dos fruto mais vulgares e mais consumidos, sobretudo pelas crianças e a maior parte das vezes sem retirar a casca.

Devemos consciencializar-nos de tudo isto e progressivamente introduzir os produtos biológicos.

Pela minha experiência, posso afirmar que a relação entre os custos, sabor, desperdício e saúde não tenho duvidas em preferir e consumir apenas produtos biológicos.

Tempo de cerejas


Temos vindo a perceber que todas as frutas e legumes são altamente ricos em vitaminas e minerais.

As Cerejas não são excepção e são também uma excelente fonte de vitaminas e minerais: vitamina A, B1, B2, C, niacina, cálcio, fósforo, ferro, lipídeos e flavonoides, o que torna este delicioso fruto num alimento com propriedades anti-inflamatórias, anti-oxidantes e num bom aliado na saúde do coração.
É muito rico em betacaroteno, benéfico para a visão, dá elasticidade à pele, aumenta a imunidade, favorece o brilho do cabelo, fortalece as unhas...

É baixo em calorias e diurético ajudando na perda de peso.

A única desvantagem é ser um fruto de curta duração, por isso devemos aproveitar a época das cerejas para as consumir.

É usual fazer compota de cerejas para consumir no resto do ano e guardar os pés (deixando secar bem) para posteriormente fazer chá.
(a compota deverá ser feita com o mínimo necessário de açucar de côco, açucar de cana, pasta de tâmara, mas nunca com o tradicional açucar branco)

Chá de pés de cereja combate infeções urinárias.
Por tudo isto vamos aproveitar esta época e começar já a comer cerejas não esquecendo de guardas os pés.

Vamos abusar da abóbora?


De vários formatos, cores e tamanhos, a abóbora é uma excelente forma de saciar a fome com pouquíssimas calorias.
É, no entanto, uma fonte de vitamina A, B, C e E,  fundamentais ao sistema imunitário e na absorção do ferro. A luteína existente na abóbora previne problemas de visão.
Anti-oxidante, com um elevado teor de fibras e ácidos gordos, zinco e potássio este legume deve estar sempre presente na nossa alimentação.

Pode ser usada em sopas, purés, sumos ou compotas, cozida, assada ou estufada o que permite o seu consumo regular de vários modos.
De notar que a casca pode e deve ser consumida também.
Desde há muito que as pevides de abóbora são utilizadas como snack ou topping em saladas e para isso basta deixá-las secar e tostar levemente.

A abóbora não tem qualquer desperdício, tudo nela é usado e aproveitado, então vamos usar e abusar da abóbora, a bem da nossa saúde.

(Curiosamente, a courgette é apenas um outro formato de abóbora, a chamada abóbora libanesa)

Sobre o pepino


O pepino é  pobre em calorias mas rico em água, minerais,  antioxidantes e vitaminas A e B, que ajudam a hidratar o corpo e manter o bom funcionamento do intestino e dos rins, beneficiando assim a saúde em geral com a eliminação de toxinas.
É um grande aliado no equilíbrio da diabetes por ter um baixo índice glicêmico assim como nas dietas de emagrecimento.

Com um sabor muito agradável é habitualmente usado em saladas e também na cosmética pelos benefícios fornecidos à pele, tanto na sua ingestão como na aplicação directa ou ainda na confeção de cremes hidratantes.

Subscrever por mail